Tocantinópolis - TO
TOCNOTÍCIAS Vocês Fazem a Notícia, Nós Apenas Divulgamos!
Siga-nos
Facebook Youtube Twitter
Linha

Rapaz Que Teve Foto Divulgada em Rede Social Como Sendo Estuprador Nega os Crimes e Diz Que Vai Procurar Seus Direitos

Data do post: 26/01/2022 23:46:13 Imprimir -  Compartilhar

Imagem do Site tocnoticias.com.brMarcelo Vieira de Sousa de 22 anos, morador da cidade de Tocantinópolis no extremo norte do Tocantins, região do Bico do Papagaio, teve sua foto divulgada em grupos do aplicativo Whatsapp como sendo um estuprador que havia feito vitimas na cidade.

Recentemente a polícia militar prendeu em Tocantinópolis um homem por tentativa de estupro contra uma menina de apenas 13 anos de idade, porém, outro crime de estupro acontecido no Setor Vila Palmeiras ainda sem solução, está sendo investigado pela polícia civil, quando uma mulher de nome e idade não divulgados, prestou queixa na delegacia após ter sido estuprada, segundo ela, por um homem que tem algumas tatuagens pelo corpo.

Após esses dois crimes acontecerem, começaram a circular em grupos do aplicativo whatsapp, fotos e divulgações acusando Marcelo Vieira de Sousa de ser o autor dos crimes citados acima, bem como por tentar molestar outras mulheres.

Marcelo já tem uma passagem pela polícia quando em 2017 acabou sendo preso sob a suspeita de ter assaltado uma pessoa e lhe subtraído um celular, porém, após a policia averiguar imagens de câmeras de segurança onde o crime havia acontecido, Marcelo foi liberado depois de ficar dois dias preso, já que o assaltante não tinha nenhuma característica que parecesse com o acusado.

Foto Reprodução WhatsappAgora, pesa sob Marcelo acusações de estupro, tentativa de estupro, sem que nenhuma vítima tivesse procurado a delegacia de polícia para prestar queixa dos crimes. Uma foto sua foi divulgada amplamente em grupos do aplicativo whatsapp com a seguinte frase: "Olá gente fica atento esse sujeito está atacando mulheres bate e estupra cuidado com essas jovens. Minha amiga viu ele no quintal da casa dela graças a Deus foi o cachorro que latiu".

Em outra postagem que também apontam Marcelo como sendo o autor, escreveram textos inclusive esnobando do trabalho da polícia, o principal dizia o seguinte: "Para quem está por fora do assunto sobre a seguridade das vítimas de estupro em Tocantinópolis-TO., estarei relatando mais um caso que aconteceu semanas atrás". A frase chamativa foi seguida por alguns textos que podem ser lidos nas imagens ao lado.  

Com a foto estampada na rede social, Marcelo agora tenta provar sua inocência, porém, pesa contra ele a acusação de andar seguindo mulheres, fotografando e fazendo perguntas. Uma única pessoa fez boletim de ocorrências por ter sido fotografada por Marcelo em um estabelecimento comercial, o restante dos relatos se tornaram famosos "disse me disse" nas redes sociais, tornando a situação tipo uma lenda urbana, onde agora, após sua foto ter sido divulgada, várias mulheres relatam terem sido seguidas por ele, mas, sempre quem conta relata que foi "uma amiga ou uma parente".

A polícia civil de Tocantinópolis chegou a conduzir Marcelo até a DP para prestar esclarecimento no caso da pessoa que registrou o Boletim de Ocorrências depois de ter visto nas câmeras de segurança que ele aparentemente havia lhe fotografado, fato esse que Marcelo negou, e que por falta de um mandado judicial, os agentes da lei não puderam apreender seu celular para averiguação.

Após ter sido ouvido, o suspeito foi liberado e agora busca, segundo ele, "limpar seu nome" das acusações de estupro, onde resolveu botar a cara a tapa numa entrevista, e explicar a situação constrangedora que o mesmo diz estar passando juntamente com sua mãe e familiares.

Marcelo contou que já procurou um advogado para acionar na justiça as pessoas que divulgaram sua foto nos grupos do aplicativo.

Assista a entrevista no vídeo abaixo:

Fonte: Redação do Tocnoticias

ATENÇÃO!
Os comentários do Portal Tocnoticias via Facebook, são de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook. Procure escrever de maneira clara para que todos possam entendê-lo. Evite o uso de palavrões, acusações sem provas, discriminação ou difamação.