Tocantinópolis - TO
TOCNOTÍCIAS Vocês Fazem a Notícia, Nós Apenas Divulgamos!
Siga-nos
Facebook Youtube Twitter
rhana_ar_condicionado_1015x150_gif

Engenheiros Florestais Do Naturatins Destacam Importância e Avanços Da Área No Dia De Sua Profissão

Data do post: 12/07/2021 21:45:14 Imprimir -  Compartilhar

NaturatinsAlém da satisfação pela escolha profissional, engenheiros florestais do Naturatins falam de experiências adquiridas na profissão, que são voltadas para manejo, reflorestamento de vegetação nativa, controle e proteção florestal, bem como as relacionadas ao cultivo de floresta plantada.

Nesta segunda-feira, 12, Dia do Engenheiro Florestal, profissionais do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) destacam a importância da área de atuação, o orgulho da escolha profissional, os desafios do trabalho em campo e os avanços tecnológicos que têm contribuído com a transparência e a segurança na análise dos projetos de empreendimentos, que objetivam o desenvolvimento econômico sustentável no Estado, de forma economicamente viável, socialmente justa e ambientalmente correta.

“O engenheiro florestal no Estado, especificamente no Naturatins, tem como foco a avaliação dos impactos relacionados à exploração florestal, assim como as medidas mitigadoras e o manejo da vegetação. Então, o desenvolvimento acontece por meio das técnicas empregadas pelas empresas, sob a avaliação do Órgão que é efetivada. Quando há a supressão da vegetação para instalação de empreendimento, o Naturatins realiza essa avaliação, o controle e o uso dos recursos florestais, mantendo, posteriormente, o monitoramento e a inspeção da supressão, da vegetação existente, das reservas legais e das áreas de preservação permanente”, destaca Rodrigo Sávio, engenheiro florestal do Naturatins.

“Atualmente, com a adoção de tecnologias de acesso às imagens, o trabalho de campo e os inventários florestais que são apresentados nos projetos possuem dados com maior precisão e os registros proporcionam uma maior segurança quanto aos resultados das avaliações. Nos dias atuais, os sistemas e as técnicas empregados, além das imagens de satélites, auxiliam substancialmente a avaliação e o importante trabalho de reflorestamento de áreas impactadas, degradadas, ou que foram submetidas a uma supressão de forma errada, pois facilita a identificação de passivos de vegetação nativa e déficits de reservas”, esclarece Rodrigo Sávio.

“O manejo florestal e o reflorestamento, nos parques e propriedades privadas, precisam que sejam empregadas técnicas sustentáveis e a avaliação preliminar do engenheiro contribui para que ocorra o sucesso desses procedimentos. O manejo e a conservação das florestas no Brasil e no mundo é de extrema importância para o desenvolvimento econômico e sustentável de toda a atividade produtiva, visando sempre o mínimo impacto”, enfatiza Rodrigo Sávio.

Felício Duarte, engenheiro Florestal do Instituto, considera gratificante a escolha dessa profissão e conta que começou obtendo experiência com o cultivo de florestas plantadas para produção de carvão vegetal, muito utilizado em siderúrgicas no Brasil, como nos estados de Minas, Pará e Maranhão, onde dedicou os seus doze primeiros anos de profissão.

“Na engenharia florestal, existem dois grandes segmentos; um de floresta de produção que é o plantio de madeiras reflorestadas de eucalipto para produção de carvão vegetal ou como, em sua maioria, para produção de celulose; e outro de floresta de proteção, que o plantio para conservação de parques, como é a parte ambiental que cuidamos aqui no Órgão. A engenharia florestal atua em todos os níveis do ambientalmente correto, a favor do desenvolvimento econômico sob o tripé do ponto de vista sustentável, que hoje é necessário para que o empreendimento obtenha sucesso. Isto é, economicamente viável, socialmente justo e ambientalmente correto”, pontua Felício Duarte.

“Da época da minha formatura aos dias de hoje, houve um ganho muito grande de tecnologia. Assim, é necessário acompanhar os avanços, além de equipamentos terrestres e aéreos tanto para produção como para proteção, atualmente contamos com tecnologias para o desenvolvimento do trabalho de campo, durante vistorias, que funcionam offline e os dados gerados dialogam com sistemas integrados, proporcionando maior transparência ao produtor, o que nos resguarda enquanto analistas e demonstra a seriedade do Órgão”, reitera Felício Duarte.

“Diariamente existem muitos desafios, mas para os profissionais que estão se formando eu recomendo que não desanime, pois é uma profissão muito gratificante, que possui um grande reconhecimento da sociedade, está diretamente relacionada à conservação dos recursos hídricos através conservação de matas ciliares promove a recarga do lençol freático e tem importante alcance de resultados significativos. Os recursos naturais são o grande bem que possuímos e não podemos descuidar pois é o que vai garantir o bem-estar das gerações futuras”, conclui Felício Duarte.

Jean Ludke, engenheiro Florestal do Instituto, complementa. “Também tenho grande satisfação de ter escolhido essa profissão. Uma área que alinha o progresso com a preservação, tendo como missão a sustentabilidade e a construção de um mundo melhor, sem comprometer as necessidades das gerações futuras”, finaliza.

 

Fonte: Naturatins

ATENÇÃO!
Os comentários do Portal Tocnoticias via Facebook, são de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook. Procure escrever de maneira clara para que todos possam entendê-lo. Evite o uso de palavrões, acusações sem provas, discriminação ou difamação.