DPE-TO Atua e Consegue Decisão Para que Estado Forneça Medicação Quimioterápica a Paciente do HGP

Data do post: 10/10/2018 13:07:10 - Visualizações: (93)    Imprimir

Por meio de um recurso movido pela Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO) e deferido pelo Tribunal de Justiça (TJ), o governo do Estado deve fornecer, em até 48 horas, a medicação necessária para o tratamento de uma paciente que se encontra internada no Hospital Geral de Palmas (HGP).

Defensoria Pública-TOA assistida da DPE-TO é portadora de Linfoma de Hodgin, uma espécie de câncer que afeta os glóbulos brancos, células responsáveis pela defesa do corpo humano.

Ao analisar recurso da Defensoria, a Justiça considerou o laudo médico, que aponta que a paciente necessita, com urgência, da medicação, devido à possibilidade de morte iminente. Se descumprir a decisão, a multa estipulada é de R$ 1 mil, limitada a R$ 50 mil. A atuação é da defensora pública Kenia Martins, que atua em Porto Nacional, município de residência da paciente assistida, localizado a 62 quilômetros de Palmas.

O medicamento que a paciente necessita é o “Brentuximab 99 MG + SP0, 9% 300 ml IV”, um quimioterápico que deve ser aplicado a cada 21 dias. O laudo médico aponta, ainda, que, para este caso específico, seriam necessárias 32 doses do produto, o que totaliza um investimento de R$ 568.960,00, visto que a unidade da medicação custa R$ 17.780,00. A família não tem recursos para arcar com essa despesa.

Na decisão, com base no recurso da DPE-TO, a Justiça considerou que “os Tribunais Superiores têm o entendimento que o atestado médico do profissional devidamente habilitado constitui prova suficiente para embasar a pretensão de fornecimento do medicamento.”

O governo do Estado argumentou que o HGP não fornece a medicação pleiteada por esta não constar na Relação de Medicamentos Essenciais (Rename) e não ser fornecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Porém, após a argumentação da Defensoria Pública, a Justiça entendeu que “o fato do medicamento solicitado não constar em lista do SUS e/ou no Rename não desonera o Estado de seu dever de proporcionar o tratamento mais adequado e eficaz aos que dele necessitam.”

Para Kenia Martins, o caso é delicado, tendo em vista a situação de saúde da paciente. Conforme a Defensora Pública, a fim de garantir o direito da assistida, a DPE-TO continua acompanhando o processo, o qual, em que pese já ter havido a decisão favorável, continua aguardando a intimação pessoal do Secretário de Estado da Saúde para cumprir a decisão, no prazo de 48 horas.

Fonte: Defensoria Pública-TO

ATENÇÃO!

Os comentários do Portal Tocnoticias via Facebook, são de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook. Procure escrever de maneira clara para que todos possam entendê-lo. Evite o uso de palavrões, acusações sem provas, discriminação ou difamação.

Em Destaque

Nêgo D´água Afundando: Prefeito de Angico (TO) Pode Perder o Cargo Por Improbidade Administrativa

Foto da notícia

Data: 14/10/2018 01:54:29 - Visualizações: 2718

Notícias Relacionadas

17/10/2018
Polícia Civil Tira Mais Três Traficantes de Circulação

16/10/2018
Polícia Militar Prende Casal Por Posse Ilegal de Arma de Fogo

16/10/2018
Autor de Furto Qualificado é Indiciado Pela Polícia Civil

16/10/2018
Polícia Militar Prende Homem Por Roubo

16/10/2018
Corpo de Bombeiros Alerta Para Incidência de Tempestade com Raios em Todo o Tocantins

16/10/2018
Reunião do Fumpol é Realizada Pela Secretaria da Segurança Pública em Palmas

Todas as Notícias