TOCANTINÓPOLIS
TOCNOTÍCIAS Vocês Fazem a Notícia, Nós Apenas Divulgamos!
Siga-nos
Facebook Youtube Twitter

PM Detém Homem Por Cárcere Privado e Sequestro em Angico: Menor de Idade Foi Ameaçado com Uma Arma Branca

Data do post: 31/01/2020 13:39:36 - Visualizações: (680) Imprimir

PM-TO Policiais militares efetuaram a prisão de um homem de 31 anos pela prática de sequestro e cárcere privado de um  menor de 16 anos, por volta das 23 horas, da noite de desta quinta-feira, 30, na cidade de Angico.

A Polícia Militar de Luzinópolis foi acionada pela mãe da vítima, via telefone funcional, e relatou que seu filho lhe havia enviado várias mensagens de celular pedindo socorro e informando que estaria sendo mantido em cárcere privado por um homem, na cidade de Angico. Diante da informação, imediatamente a viatura da PM se deslocou até ao endereço informado pela mãe da vítima, local onde foi realizada abordagem e entrevista ao suposto autor. A vítima foi localizada próximo a residência deste, pois havia pulado o muro da casa, aproveitando o momento em o homem era entrevistado pelos policiais militares. O menor se encontrava atordoado, mas ao ser perguntado sobre o fato relatou que desde as 17 horas, ele estava sendo mantido preso em um quarto no fundo da residência. E que era ameaçado pelo homem o tempo todo, com um objeto cortante tipo espada, apontando para seu pescoço.

Diante dos fatos, foi dada voz de prisão ao autor que reagiu e entrou em luta  corporal com os militares, tendo sido necessário o uso da força proporcional para efetuar sua prisão. Após detido, o indivíduo foi conduzido pela PM para a Delegacia de Polícia Civil de Tocantinópolis, onde foi apresentado  juntamente com a vítima e a arma utilizada para praticar o crime, um facão.

Fonte: PM-TO

ATENÇÃO!
Os comentários do Portal Tocnoticias via Facebook, são de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios poderão ser denunciados pelos outros usuários, acarretando até mesmo na perda da conta no Facebook. Procure escrever de maneira clara para que todos possam entendê-lo. Evite o uso de palavrões, acusações sem provas, discriminação ou difamação.